Social Icons

segunda-feira, 3 de junho de 2019

VOU MATAR BOLSONARO, SE EU SAIR DA CADEIA, DIZ ADÉLIO QUE AINDA AFIRMA QUE VAI CUMPRIR MISSÃO

Blog do Alex Ramos 
O autor do atentado contra Jair Bolsonaro, quando ainda era candidato a Presidência da República, afirmou que quando sair da prisão vai “cumprir sua missão de matar Bolsonaro e também Michel Temer (ex-presidente da República), que também participaria do complô maçônico para conquistar as riquezas do Brasil”.
Adélio Bispo de Oliveira tentou matar o hoje presidente da República durante campanha em Juiz de Fora. Ele também afirmou que tentou assassinar o então candidato porque, se eleito, Bolsonaro “entregaria nossas riquezas ao FMI, aos maçons e à máfia italiana”.
As afirmações foram dadas durante avaliação psiquiátrica do criminoso, que também disse que haveria uma execução em massa dos “pobres, pretos, índios, quilombolas, homossexuais, só ficando os ricos maçons dominando as riquezas do Brasil”.
Adélio está preso em Campo Grande (MS), após ter realizado o atentado a faca contra Bolsonaro, em 6 de setembro do ano passado.
Com essas declarações, o autor do atentado conseguiu convencer o juiz Bruno Savino, da 3ª Vara Federal de Juiz de Fora, de que é inimputável (impossível de ser condenado) por sofrer de Transtorno Delirante Persistente.
Em sua decisão, o juiz reproduziu trecho do laudo psiquiátrico e como a suposta doença teria surgido. Segundo informa o laudo, a raiz da doença seria genética e que veio a tona devido a “vivência traumática na mais tenra infância”.
A perícia também destaca que ele não citou nenhuma relação afetiva durante as avaliações.
O trecho diz: “O periciado é portador de Transtorno Delirante Persistente. A raiz da doença é genética, reforçada por vivência traumática na mais tenra infância.

Do NBO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
 
Luzimar Rodrigues