Social Icons

segunda-feira, 1 de julho de 2019

CASO JHONATAN, EM BELÁGUA: VÁRIAS VERSÕES SÃO APRESENTADAS, MAS TODAS DESCARTADAS PARA O SUMIÇO DO BEBÊ

Blog do Alex Ramos 
Os traços de um crime que culminou no desaparecimento de um bebê identificado como Jhonatan Alves dos Santos, em  Belágua ainda permanece um grande mistério.

Pais, tia e avô paterno, todos chegaram a ser ouvidos, mas sem sucesso. Destes, 3 ficaram presos mediante preventiva de cinco dias, sendo liberados após expirado esse prazo, Pai Tadeu Nascimento dos Santos, o avô paterno Raimundo Alves dos Santos e a irmã de Tadeu, Marilene Nascimento dos Santos.

Com a chegada do trio no município de Belágua, todos clamavam por justiça.

Várias versões já foram apresentadas ao longo do processo investigatório, porém nenhuma que  possa levar os investigadores ao paradeiro da pequena vítima.
Versões:

Pai especula que o filho seja de outro homem, motivo da vingança o qual teria doado o menino;

A criança foi sequestrada do quarto dos pais enquanto dormiam;  


A mãe teria sido dopada para que alguém retirasse a criança da residência que não tem portas;

A criança foi vendida por R$ 300, para uma suposta família piauiense;

A criança pode está com parentes ou outra família que esteja amamentando o menor;

Jhonatan, teria sido jogada no rio;

E até uma história lendária de que a mãe d'água teria sumido com o bebê.

O quebra-cabeças, está dando um nó na polícia judiciária que tenta a todo custo solucionar o problema, enquanto isso o interesse da imprensa e da sociedade cresce, porém sem solução, a frustração impera entre as autoridades.

A medida que os dias vão passando, a tendência é que o caso enfrie e caia no esquecimento.


Sem a resolução do caso, a justiça fica cada vez mais distante de ser feita, enquanto isso, todos seguem sofrendo com a história da vida real que envolve a criança e que destrói a família. 

Os investigadores terão que trabalhar em dobro para juntar todos os pontos para esclarecer o que de fato aconteceu, como aconteceu e porque aconteceu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
 
Luzimar Rodrigues