Social Icons

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

ROSÁRIO: MULHER ENVOLVIDA EM HOMICÍDIO DA MISSIONÁRIA AMERICANA DOROTHY STANG NO ANO DE 2005 É PRESA POR POLICIAIS MILITARES DO 27º BATALHÃO

 Blog do Alex Ramos
O monitorando foi fundamental para seguir os passos e ações de Luana durante 4 (quatro) meses e meio, que estava constantemente mudando de endereços.  O Grupo de Serviço Avançado (GSA), recebeu informações de que Luana de Cássia, iria estar em um festejo no povoado Itamirim, em Rosário-MA. 

Diante dessas informações o GSA iniciou uma vigilância sobre a mesma, onde conseguiu encontrá-la, na entrada de um clube de festa. A Força Tática (FT) escontrava-se próxima da localidade e após o sinal positivo, realizou a abordagem e deu voz de prisão a conduzida em virtude da mesma ter em seu desfavor dois mandados de prisão, um da comarca de Belém-PA e outro  da comarca de Açailândia-MA, sendo o primeiro, segundo o MP oriundo de Belém-PA é em virtude de em 2005 ter envolvimento na morte da missionária norte americana Dorothy Stang. 

Já o outro conduzido Carlos Magno, tentou agredir a GU tentando impedir a condução de Luana, desta forma também foi conduzido.

Ambos foram apresentados  na DP de Rosário para devidas providências, sendo necessário o uso de algemas devido a resistência dos mesmos.

Material apreendido:
01( um) celular iPhone Dourado.
01(um) celular moto G.
01 (um) relógio Dourado.
05 (cinco) anéis dourado.
01 (um) bracelete Dourado.
02 (dois) cordões dourados.
Uma quantia de R$ 755,00 Reais (Luana).
01 (uma) chave de moto.
Uma quantia de R$395,60 (Carlos Magno)
01(um) cartão Caixa (Luana).

A prisão se deu por volta das 20h30, domingo, 13.

Assassinato de Dorothy Stang:

A missionária americana Dorothy Stang foi assassinada no dia 12 de fevereiro de 2005, aos 73 anos. Irmã Dorothy, como era conhecida, foi responsável pela criação do primeiro programa de desenvolvimento sustentado da Amazônia, em Anapu (PA).
Com o projeto, vários fazendeiros e madeireiros tiveram suas terras confiscadas pelo Incra. Segundo o Ministério Público, a morte da missionária foi encomendada pelos fazendeiros Vitalmiro Bastos de Moura, o Bida, e Regivaldo Galvão, o Taradão.
Amair Feijoli da Cunha, o Tato, foi intermediário do crime. Rayfran das Neves Sales e o comparsa, Clodoaldo Carlos Batista, foram os executores de Dorothy.
O crime ganhou repercussão internacional, chamando a atenção de entidades ligadas aos direitos humanos e a reforma agrária na Amazônia.

Na época, a ministra do meio ambiente, Marina Silva, esteve na região e deslocou um aparato policial para as investigações.
 Irmã Doroty: a missionária americana Dorothy Stang foi assassinada no dia 12 de fevereiro de 2005, aos 73 anos (Carlos Silva/Reuters)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
 
Luzimar Rodrigues