Social Icons

sexta-feira, 6 de março de 2020

MONITOR DA VIOLÊNCIA: COM MAIS DE 11 MIL PRESOS, SUPERLOTAÇÃO DOS PRESÍDIOS MARANHENSES É DE 31,5%

Blog do Alex Ramos

Detentos dividem cela lotada no presídio de Pedrinhas, em São Luís — Foto: Mario Tama/Getty Imagens

As prisões maranhenses seguem superlotadas. A atualização do Monitor da Violência, levantamento anual do sistema prisional feito pelo G1, mostra que, entre dados de todo o país, os presídios maranhenses estão funcionando 31,5% acima da capacidade e que o número de novos detentos foi maior que o de vagas criadas em comparação a 2019.

Em números absolutos, em 2019, o Maranhão tinha um total de 11.236 presos para 8.531 vagas, o que apontava um déficit de 2.705 vagas naquele ano. Em 2020, esse número subiu para 2.844, ainda que o número de vagas tenha crescido, 492 a mais este ano, não acompanhou o número de novos presos, que totalizaram 631. Atualmente, o Maranhão possui 11.867 presos em regime semiaberto e fechado.

Já em relação aos presos provisórios (pessoas ainda não condenadas) no Maranhão, os índices caíram de 5.057 (45%) pessoas nessa condição para 4.400 (37,1%).
Comparado com os outros estados da federação, o Maranhão encontrasse como o segundo menos superlotado do nordeste, afrente apenas da Bahia (26,2%). Em relação ao Brasil, é o terceiro menor índice de superlotação, afrente, também, de Santa Catarina (26,7%).

Também em números absoluto, o Maranhão é o quarto com o maior número de presos do nordeste, atrás de Pernambuco (33.458), Ceará (24.144) e Bahia (15.265).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
 
Luzimar Rodrigues