Social Icons

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

INQUÉRITO SOBRE MORTE DE JOVEM EM MAGIA NEGRA É CONCLUÍDO

Foi concluído o inquérito policial sobre a morte brutal da universitária Carina Silva Sousa, que tinha 24 anos e foi encontrada morta no dia 20 de janeiro deste ano às margens da BR-010, município de Imperatriz, sudoeste do Maranhão. Emerson Vieira Corrêa foi indiciado como autor do homicídio, que teve um aspecto de magia negra.

Para a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o crime foi premeditado.

O delegado que investigou o caso, Praxísteles Martins, do DHPP de Imperatriz, disse que, durante a fase de apuração, 10 pessoas foram conduzidas à delegacia como testemunhas, sendo que seus depoimentos foram cruciais para a confirmação da autoria e circunstâncias. Um dos ouvidos foi o avô de Emerson, que contou sobre conversas estranhas do neto acerca de práticas canibais relacionadas à magia negra.

Inclusive, na data do homicídio, o indiciado afirmou ao parente que estava pronto para devorar a orelha de alguém, sem citar nomes e entrar em detalhes.

No inquérito policial, que contém 200 páginas, o delegado disse que há a dinâmica pormenorizada do crime, desde o momento em que a universitária saiu de casa alegando aos pais que iria se reunir com amigos, mas era mentira, pois ela se
encontrou com Emerson, que conheceu pelas redes sociais e com quem já mantinha um relacionamento. Pouco depois, Carina foi brutalmente morta com golpes de marreta na cabeça, dentro da casa onde o autor residia, no Parque da Palmeiras, em Imperatriz.

Logo após confirmar a morte da universitária, Emerson, que alegou ter sofrido um surto psicótico, queimou as roupas da jovem e se desfez do celular dela. Além de tera pagado outros vestígios, segundo Praxísteles Martins. Por fim, o indiciado abandonouo corpo nu dela às margens da BR-010. Em seu depoimento prestado na DHPP, os uspeito confessou que, antes de buscar a garota, participou de um culto religioso,o nde ingeriu uma substância conhecida como “Chá do Santo Daime”, cujo nome é a yahuasca , que possui propriedades alucinógenas e é bebida em mais de 40 países emr rituais

Emerson também argumentou que a matou após a jovem ter retirado as roupas e se  comportandono sentido de manter relações sexuais. Nesse instante, disse ter sofrido o surto após ter se arrependido por trair sua companheira.

A prisão do autor:

Emerson Vieira se entregou à polícia no dia 24 de janeiro, acompanhado de um advogado. Em desfavor dele, havia mandado de prisão temporária referente ao crime. Esse documento foi convertido em prisão preventiva.

Ele não havia sido encontrado em Imperatriz porque estava no Tocantins, na cidade de Palmas, para onde fugiu depois que assassinou Carina. Com a repercussão do caso na imprensa, ele decidiu se apresentar.

Do Itaqui Bacanga

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
 
Luzimar Rodrigues